DOAÇÃO DE ÓVULOS



         Esse tratamento é indicado para as mulheres que não tenham mais óvulos ou os produzam com baixa qualidade. A doação de óvulos também é indicada para as mulheres portadoras de doenças genéticas que possam ser transmitidas para seus filhos, que não possam ser diagnosticadas pela técnica do PGD (diagnóstico genético pré implantacional).

         As doadoras são voluntárias e são pesquisadas quanto a doenças genéticas e sexualmente transmissíveis.





         O ciclo de doação de óvulos é realizado pela técnica de Fertilização in vitro na qual os gametas femininos (óvulos) de uma mulher (doadora) são doados a outra (receptora) para que sejam fertilizados. A fertilização é realizada no laboratório com espermatozóides do marido da receptora. A doadora será estimulada com hormônios injetáveis para aumentar a produção de óvulos naquele mês. Após a coleta, quando o processo for realizado pela doação compartilhada, metade dos óvulos serão fertilizados com os espermatozóides do marido da doadora e a outra metade com os espermatozóides do marido da receptora. Vinte e quatro horas após a fertilização sabemos quantos embriões se formaram, estes permanecem no laboratório por 2 a 5 dias e após serem selecionados serão colocados no útero através de um cateter por via vaginal.
         Desta forma, o(s) embrião(ões) transferido(s) para o útero da receptora, será(ão) formado(os) pelo espermatozóide do próprio marido e o óvulo de uma doadora. A receptora recebe dois únicos hormônios (estrogênio e progesterona) para o preparo do endométrio a fim de receber os embriões.