TESTE DE FRAGMENTAÇÃO DE DNA



         A fragmentação do DNA do espermatozóide resulta de fatores que agridam diretamente o DNA do espermatozóide e em sua maioria estão relacionados com a qualidade de vida dos pacientes. Fatores como uso de drogas, álcool, fumo, poluição, má alimentação, exposição prolongada a altas temperaturas ou mesmo febres altas podem lesar de maneira transitória o DNA do espermatozóide. Além destes fatores a Idade do homem é um fator relevante e não transitório de dano de DNA do espermatozóide.

         Homens que apresentem mais de 20% de DNA do espermatozóide fragmentado, cursam com taxas de gravidez mais baixas tanto por FIV como por ICSI, e taxas de aborto mais elevadas. Acredita-se que pacientes com fragmentação do DNA do espermatozóide > 20% se beneficiem com tratamentos com anti-oxidantes, tais como a vitamina C e E, ácido fólico, entre outros. A biópsia testicular também pode ser uma opção, já que espermatozóides do testículo são menos fragmentados que espermatozóides do ejaculado.