Doação de óvulos

A doação de óvulos é indicada para as mulheres que não tenham mais óvulos ou os produzam com baixa qualidade. A doação de óvulos também é indicada para as mulheres portadoras de doenças genéticas transmissíveis para seus filhos, que não possam ser diagnosticadas pela técnica do PGD (diagnóstico genético pré-implantacional).

As doadoras, voluntárias, são pesquisadas quanto a doenças genéticas e sexualmente transmissíveis.

Doação de óvulos: doadoras e receptoras

O ciclo de doação de óvulos é realizado pela técnica de fertilização in vitro  (FIV) na qual os gametas femininos (óvulos) de uma mulher (doadora) são doados a outra (receptora) para que sejam fertilizados.

A fertilização é realizada no laboratório, com espermatozoides do marido da receptora. A doadora será estimulada com hormônios injetáveis para aumentar a produção de óvulos naquele mês.

Após a coleta, quando o processo for realizado pela doação compartilhada, metade dos óvulos será fertilizada com os espermatozoides do marido da doadora e a outra metade, com os espermatozoides do marido da receptora.

Vinte e quatro horas após a fertilização, sabendo-se quantos embriões se formaram, estes permanecem no laboratório por 2 a 5 dias. Após esse período, são selecionados e introduzidos no útero através de um cateter por via vaginal.

Desta forma, o(s) embrião(ões) transferido(s) para o útero da receptora será(ão) formado(os) pelo espermatozoide do próprio marido e o óvulo de uma doadora. A receptora recebe dois únicos hormônios (estrogênio e progesterona) para o preparo do endométrio, a fim de receber os embriões.

Entenda como funciona a doação compartilhada:

O Conselho Federal de Medicina (CFM) permite que mulheres em tratamento de reprodução assistida, e que apresentam uma boa resposta à estimulação ovariana, possam doar parte dos óvulos que são coletados.

Um auxílio financeiro pode ser oferecido pela receptora, para que possa cobrir parte do tratamento de fertilização da doadora. Porém, não pode haver caráter lucrativo ou comercial.

As identidades dos doadores e dos receptores nunca são reveladas. A idade máxima para doar é de 35 anos.

Mais informações sobre o assunto você pode consultar no Portal do Conselho Federal de Medicina

O tratamento para infertilidade mais adequado para o seu caso deve ser orientado por um especialista. A consulta é importante para um diagnóstico preciso. Agende uma consulta com nossos especialistas e tire todas as suas dúvidas.

Agende uma consulta com um de nossos especialistas e saiba mais sobre nossos tratamentos.